Centro Social Nª Srª da Confiança

Centro Social Nossa Senhora da Confiança

Os primeiros passos daquele que viria a ser o Centro Social Nossa Senhora da Confiança, dão-se no ano de 1994 após uma reunião ocorrida no Centro Regional de Segurança Social de Castelo Branco, em que participaram as Juntas de Freguesia do Concelho, a Câmara Municipal da Sertã e algumas Associações, nomeadamente a Sociedade Filarmónica Aurora Pedroguense através do seu Presidente, José Ramos Moreira. Dessa reunião transpareceu a ideia, de que, no final de mandato do XII Governo Constitucional (1991- 1995), as questões sociais passariam a ocupar maior relevo, cabendo às instituições organizadas no terreno (Misericórdias e outras), um papel fundamental na prossecução daqueles objetivos.

Nesse encontro, foi dada a primazia à Santa Casa da Misericórdia de Pedrógão Pequeno, para que iniciasse as diligências que conduzissem à assunção de responsabilidades perante aquele Centro Regional de Segurança Social. O tempo foi passando, e perante a falta de resposta da Misericórdia, o cidadão José Ramos Moreira, decide constituir uma Associação, para que as Freguesias de Pedrógão Pequeno e do Carvalhal, pudessem aceder aos apoios sociais de que tanto careciam.

Depois de inúmeras diligências, a Associação foi constituída através de escritura notarial em 17 de agosto de 1995. Outorgaram a escritura, José Ramos Moreira, Manuel Fernandes, João da Silva Venâncio, João Antunes Rei, Virgílio Nunes Guilherme, Joaquim Alves, Firmino Fernandes Lourenço da Silva, José Augusto Dias, Manuel Simões Junior e Vítor Nunes Lopes Ferreira.

Daqui até à primeira Assembleia Geral que viria a eleger os primeiros Corpos Sociais, o Centro Social foi dirigido por uma Comissão Instaladora constituída pelos primeiros cinco subscritores da referida escritura, desempenhando o primeiro as funções de presidente.

Mas, urgia ir para o terreno, e sinalizar as situações mais degradantes que se faziam sentir. A falta de instalações e de viaturas eram um entrave à ação do Centro Social; valeu nessa altura o gesto pronto e incentivador de António Victoria, que logo pôs à disposição parte de uma habitação que detinha na Praça Ângelo Henriques Vidigal, tendo ainda oferecido uma viatura para os primeiros serviços ao domicílio.

Foram nessas instalações confecionadas e servidas as primeiras refeições, e os necessários tratamentos de roupa aos mais carenciados. Daí à construção do edifício sede do Centro Social foi um passo, uma aventura e uma luta travada com grande determinação, com o apoio da população, que generosamente não regateou ajudas, incentivando sempre para que a Obra fosse para a frente.

Vendo esta onda de vontade e de solidariedade, as entidades públicas, Segurança Social, Câmara Municipal e Junta de Freguesia, juntaram esforços, que foram decisivos para a concretização do projeto. Nos apoios privados, foi de crucial importância aquele que foi dado por José Fernandes, peça fundamental na construção do Centro de Dia, e grande benemérito da sua terra.

Foi assim, este, inaugurado com grande júbilo, a 5 de janeiro de 2001, pelo Secretário de Estado da Inserção Social, Dr. Rui Cunha, vindo a partir daí, a alargar o seu apoio com maior qualidade, àqueles que se encontram em situação de maior fragilidade e carência. Hoje, o Centro Social nas suas valências protocoladas com a Segurança Social, de Centro de Dia e Apoio Domiciliário, não tem dúvidas em afirmar, que a vida de tantos e tantos cidadãos, das Freguesias de Pedrógão Pequeno, Carvalhal, Sertã e Madeirã, não teria sido a mesma sem a sua ação, sempre pronta, solidária e diligente.

De referir que, no campo sócio-económico, o Centro Social é a entidade que maior volume de negócios movimenta na Freguesia de Pedrógão Pequeno, bem como, é também o seu maior empregador, afirmando-se como um marco incontornável na região em que se insere.

O Centro Social Nossa Senhora da Confiança estará sempre com os mais necessitados, e tudo fará, para lhes oferecer o lugar que tanto merecem.